GNR VAI FISCALIZAR LIMPEZAS DE TERRENOS E FLORESTA - Edição Jornal
38769
post-template-default,single,single-post,postid-38769,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

GNR VAI FISCALIZAR LIMPEZAS DE TERRENOS E FLORESTA

GNR VAI FISCALIZAR LIMPEZAS DE TERRENOS E FLORESTA

A Guarda Nacional Republicana (GNR) está no terreno a garantir que foi cumprida a lei para a limpeza de terrenos e mato, depois do prazo inicial, que terminava a 15 de março, ter sido prolongado até 31 de maio, devido à pandemia de covid-19.

Quem não limpou os terrenos, de acordo com o que está previsto por lei, em especial em volta de casas e junto a estradas, está agora sujeito a coimas entre 280 e 120.000 euros.

Segundo os números avançados por esta força de segurança, foram identificadas mais de 23 mil situações, em todo o país, e o distrito de Viseu é um dos que tem mais situações de incumprimento.

Há no mapa do país 1114 freguesias consideradas como “prioritárias”, devido ao risco de incêndio que apresentam e serão as que primeiro vão merecer a atenção das autoridades nesta fase de fiscalização.

A GNR adianta ainda que a Operação Floresta Segura 2020, à semelhança de anos anteriores, arrancou “com uma forte campanha de sensibilização”, com mais de 3500 ações junto da população, mas já agora a necessidade de verificar se a lei foi ou não cumprida, estando em causa a salvaguarda de populações e da floresta na defesa contra os incêndios.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.