Bastonário da Ordem dos médicos `arrasa´ condições da urgência do Hospital de Viseu e do serviço de oncologia - Edição Jornal
31654
post-template-default,single,single-post,postid-31654,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Bastonário da Ordem dos médicos `arrasa´ condições da urgência do Hospital de Viseu e do serviço de oncologia

Bastonário da Ordem dos médicos `arrasa´ condições da urgência do Hospital de Viseu e do serviço de oncologia

O bastonário da Ordem dos Médicos diz que a urgência do Centro Hospitalar Tondela Viseu “é um “corredor com meia dúzia de salas” e defendeu uma solução “imediata” para o centro oncológico, que está no que classifica de “situação inacreditável”.

Miguel Guimarães visitou o espaço e no final, aos jornalistas, defendeu que o Hospital de Viseu precisa de um serviço de urgências novo considerando que as atuais são “um corredor com meia dúzia de salas” sem organização nem condições para quem lá trabalha e também para os doentes.

O bastonário abordou ainda a questão do centro oncológico, que diz estar numa situação inacreditável, e que nunca viu nada como em Viseu. Miguel Borges defendeu que a situação “tem que ser resolvida imediatamente” considerando de heroico o desempenho dos médicos e dos doentes, atendidos num serviço que diz não ter as condições mínimas.

No diagnóstico que fez ao Hospital de Viseu, o bastonário da Ordem dos Médicos apontou três situações que classificou como críticas: a urgência, a oncologia e a psiquiatria.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****