Bombeiros de Viseu alertam que o socorro está em risco por falta de dinheiro - Edição Jornal
21853
post-template-default,single,single-post,postid-21853,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Bombeiros de Viseu alertam que o socorro está em risco por falta de dinheiro

Bombeiros de Viseu alertam que o socorro está em risco por falta de dinheiro

O presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viseu, Carlos Costa, alerta para problemas financeiros na corporação e acusa o Estado de dever aos voluntários de Viseu mais de 100 mil euros.

Carlos Costa diz que em causa pode estar o socorro prestado pelos Voluntários de Viseu às populações, já que a corporação se debate com sérios problemas de tesouraria, sem dinheiro para combustível para as viaturas e para o pagamento de salários.

A principal causa, frisa o responsável pela corporação, são os mais de 100 mil euros que o estado deve, e não paga.

Com um orçamento anual de cerca de 700 mil euros, o presidente da direção da associação humanitária considera que “é muito difícil gerir quando os subsídios regulares cada vez chegam mais tarde”.

Carlos Costa deixou o desabafo durante a cerimónia de entrega do cheque solidário de 11.492 euros, fruto do lucro de bilheteira no dia 22 de agosto, Dia dos Bombeiros Voluntários na Feira de São Mateus, que contou com um concerto dos D.A.M.A. O dinheiro deu para ajudar ao pagamento de alguns salários, mas longe das necessidades da corporação, com o responsável a garantir que não há dinheiro para gasóleo e que o apoio às populações, em caso de necessidade, está em risco.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm