Câmara de Lamego promove a esterilização de animais de companhia - Edição Jornal
25298
post-template-default,single,single-post,postid-25298,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Câmara de Lamego promove a esterilização de animais de companhia

Câmara de Lamego promove a esterilização de animais de companhia

O abandono de animais de companhia e a sua proliferação na via pública tem vindo a tornar-se um dos problemas que mais preocupam o Município de Lamego, refere comunicado.

O Centro de Recolha Oficial (Canil Municipal) esgotou há muito a lotação permanente da sua capacidade para acolhimento de animais abandonados, facto que já obrigou à suspensão dos protocolos firmados com os municípios de Armamar e Cinfães para a receção temporária de animais.

Com o objetivo de ajudar a minorar os efeitos deste problema, a Câmara Municipal avançou com a concretização de um programa de esterilizações, cumprindo desta forma a obrigação legal de implementação desta importante medida que visa o controlo da população de cães e gatos abandonados e proíbe o seu abate.

Assim, foram assinados, no passado mês de janeiro, protocolos com duas clínicas da região com a finalidade de poderem complementar os atos de esterilização de animais abandonados que já são prestados pelo próprio Serviço de Veterinária Municipal.

Têm também sido promovidas diversas campanhas de adoção responsável junto dos munícipes. Na prática e através deste procedimento, salienta ainda o município, o número de adoções já aumentou consideravelmente: no ano passado, 80 cães e 25 gatos conheceram uma nova família, uma subida muito significativa em comparação com igual período do ano anterior. Para alcançar este bom resultado tem sido determinante a colaboração dos centros de atendimento médico-veterinários e de organizações não governamentais de proteção animal que estabelecem um “diálogo franco e de colaboração” com o Município de Lamego com vista à resolução de um problema preocupante.

A autarquia defende ainda que os municípios portugueses têm de ser dotados de meios financeiros adequados para a criação e modernização dos centros de recolha já existentes, com vista a “obviar a um problema muito urgente e que está a tornar-se inadiável resolver”, referiu o Vice-Presidente António Alves da Silva, durante a outorga dos protocolos com as Clínicas VET Lamego e Clínica Veterinária Douro-Sul.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****