Casa de Abrigo em Viseu é projeto pioneiro de apoio a vítimas - Edição Jornal
25321
post-template-default,single,single-post,postid-25321,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Casa de Abrigo em Viseu é projeto pioneiro de apoio a vítimas

Casa de Abrigo em Viseu é projeto pioneiro de apoio a vítimas

Viseu já tem uma Casa de Abrigo de acolhimento para mulheres vítimas de violência doméstica com doença mental.

Está instalada no Centro Hospitalar Tondela-Viseu e é um projeto piloto pioneiro em Portugal, com capacidade para acolher dez mulheres que tenham um diagnóstico de patologia psiquiátrica normalizada e sem indicação de internamento, e que integra a Rede Nacional de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica. Com esta Casa Abrigo pretende-se capacidade de resposta para mulheres com doenças mentais, através de um apoio que lhes permita construir um projeto de vida onde possam ser autónomas.

Segundo números do Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica do Distrito de Viseu, nos últimos 10 anos há o registo de 1.552 casos.

A Casa de Abrigo vai contar com um médico psiquiatra e enfermeiro da área da saúde mental, no total de cinco técnicos de saúde, e mais oito auxiliares em regime de continuidade.

Para operacionalizar a intervenção especializada, foi assinado um protocolo entre a entidade gestora da casa de abrigo, a Casa do Povo de Abraveses, e o Centro Hospitalar Tondela-Viseu para garantir uma articulação eficaz com as valências de psiquiatria, pedopsiquiatria, pediatria, sexologia e urgência.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****