CDS questiona Governo sobre critérios de distribuição de publicidade da campanha “Portugal Chama” - Edição Jornal
35026
post-template-default,single,single-post,postid-35026,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

CDS questiona Governo sobre critérios de distribuição de publicidade da campanha “Portugal Chama”

CDS questiona Governo sobre critérios de distribuição de publicidade da campanha “Portugal Chama”

O CDS questionou no parlamento o Governo sobre qual foi a Plataforma de Candidatura Pública utilizada para dar a conhecer aos diferentes Órgãos de Comunicação Social a existência da campanha “Portugal Chama” e qual foi o critério utilizado para seleção dos Órgãos de Comunicação Social que beneficiaram da mesma.

Já em julho passado o Grupo Parlamentar do CDS-PP questionou os ministros da Administração Interna, da Cultura e Adjunto e da Economia sobre várias queixas de rádios locais, de vários pontos do país, que não foram contempladas pela campanha “Portugal Chama”, promovida pelo Governo, através da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais, com o objetivo de mobilizar todos os portugueses na luta contra os incêndios.

Apesar das garantias dadas então pelo Governo, o CDS diz que se mantiveram as queixas de várias rádios locais, em especial algumas do distrito de Viseu, um dos que habitualmente é mais afetado pelos incêndios de Verão.

O CDS-PP defende que as rádios locais são a primeira linha de informação das populações, principalmente em informação e quando há incêndios, pelo que é de importância fulcral que estas sejam abrangidas por campanhas de publicidade do Estado fundamentais para o território, como é o caso da “Portugal Chama”.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm