DGS DEFINE REGRAS PARA A RETOMA DAS MODALIDADES DESPORTIVAS - Edição Jornal
41082
post-template-default,single,single-post,postid-41082,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

DGS DEFINE REGRAS PARA A RETOMA DAS MODALIDADES DESPORTIVAS

DGS DEFINE REGRAS PARA A RETOMA DAS MODALIDADES DESPORTIVAS

A Direção-Geral da Saúde (DGS) definiu as normas para a retoma da competição das modalidades desportivas coletivas, e que permitem o regresso do futebol não profissional, e aindas das modalidades de pavilhão como andebol, futsal, basquetebol, voleibol e hóquei em patins, entre outras.

São as federações e os clubes que ficam responsáveis pela avaliação do  risco de contágio de covid-19 e de “elaborar um regulamento específico para a prática desportiva, em contexto de treino e em contexto competitivo, de acordo com a estratificação de risco da modalidade”.

Há três escalões – baixo, médio e alto risco – mas só em situação de risco alto, ou no caso que envolva equipas provenientes das chamadas “zonas ativas de transmissão”, é que a realização de testes à covid-19 será obrigatória até 48 horas antes dos jogos. Estão nesta classificação modalidades como o râguebi ou o judo, e outras como o pólo aquático e a ginástica acrobática.

No caso das modalidades de médio risco, entre as quais a grande maioria das modalidades de pavilhão e o futebol, serão realizados apenas testes aleatórios até 48 horas antes da competição, sempre que as equipas compitam em zonas de transmissão comunitária ativa da doença.

As medidas agora divulgadas prevêem a elaboração de um plano de contingência próprio para a covid-19, no qual devem constar os locais de treino e competição, as suas condições de higiene e segurança e a identificação da área de isolamento para casos suspeitos da doença.

A DGS admite que o cumprimento destas normas pressupõem que todos os praticantes e equipas técnicas respeitem “um Código de Conduta/Termo de Responsabilidade, no qual é assumido o compromisso pelo cumprimento das medidas de prevenção e controlo da infeção por SARS-CoV-2, bem como o risco de contágio por SARS-CoV-2 durante a prática desportiva, quer em contexto de treinos quer em contexto de competições”.

Em 29 de maio último, a DGS já tinha dado autorização para a realização de atividade física em espaços fechados, mas de forma individual.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária  96.8 FM ou em www.968.fm