FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DA PRIMAVERA DE VISEU SERÁ TRANSMITIDO PELO FACEBOOK DE FORMA GRATUITA - Edição Jornal
43266
post-template-default,single,single-post,postid-43266,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DA PRIMAVERA DE VISEU SERÁ TRANSMITIDO PELO FACEBOOK DE FORMA GRATUITA

FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DA PRIMAVERA DE VISEU SERÁ TRANSMITIDO PELO FACEBOOK DE FORMA GRATUITA

A confirmação de arranque do Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu anunciado para os meses de novembro e dezembro não foi a única novidade do festival. Os concertos dos quase 400 músicos serão transmitidos via streaming, pela plataforma do Facebook, e de forma gratuita. A ideia é usar o alcance da plataforma para conseguir um bom público e fazer história no festival de 2020.

Diferente das edições anteriores, a 13.ª edição do Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu vai decorrer em finais de outono. Os tradicionais concertos estão agendados para arrancar no dia 28 de novembro e terminar apenas no dia 19 de dezembro, como já foi noticiado. Serão mais de 400 músicos a tocar em salas vazias, mas com um grande potencial de público, pois a transmissão será toda disponível pela internet, seguindo uma tendência que se iniciou neste ano.

A organização confirma que, pelo Facebook, será possível acompanhar todos os concertos de forma gratuita. A ideia é transmitir o festival por livestreaming, e transformar todo o evento em algo mais dinâmico e diferente das edições anteriores. Assim, os locais escolhidos para a realização dos concertos, como o Teatro Viriato e o Museu Nacional de Grão Vasco, irão contar com uma equipa pronta a transmitir os músicos.

Apesar da troca da época, a 13.ª edição do Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu promete diferir de uma forma positiva. Com um alcance ainda maior, adaptado às novas tecnologias, os concertos devem contar com um ambiente de Natal e chegar pelo Facebook na casa de todos.

Tecnologia do presente

O mercado crescente de streaming de vídeo chegou a Portugal com maior força em 2020. Além do uso por profissionais em regime de teletrabalho, essa tecnologia também ganhou audiência com o entretenimento digital. A ideia de poder transmitir ao vivo diferentes conteúdos faz com que se abra uma janela de oportunidades para diferentes públicos, que vão desde conferências internacionais até festivais de música.

No entretenimento, as plataformas de livestreaming podem ser usadas em diferentes formas. Um bom exemplo é a empresa portuguesa MyCujoo, que foi lançada em 2015 e alcançou mais de 26 milhões de utilizadores únicos em todo o mundo com a transmissão de jogos de futebol pela internet. Também é possível citar as plataformas de casino online, como mostram as dicas do portal VegasSlotsOnline, que possuem livestreaming dos tradicionais jogos de apostas, como o poker e o blackjack. Pode-se falar também do sucesso do portal Twitch TV em Portugal, que possui livestreaming de torneios e festivais voltados para os fãs de videojogos.

Entretanto, a transmissão ao vivo não é apenas para o entretenimento. Aplicações como o Skype e o Microsoft Teams ganham espaço em 2020 com cada vez mais tecnologia e a disponibilidade para oferecer um ambiente de trabalho por videoconferência. No caso da versão paga da app da Microsoft, é possível reunir até 10.000 pessoas numa só transmissão, enquanto a versão gratuita permite apenas 300 participantes por videoconferência. É mais que o suficiente para uma reunião de equipa.

Concertos online

A 13.ª edição do Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu não será o único festival a aderir a livestreaming para chegar ao público. Na verdade, desde o início do ano, os concertos online ficam mais populares. Quase todos os artistas de Portugal e de outros países participaram, pelo menos uma vez, dos concertos pelas redes sociais, sendo o instragram uma das plataformas mais usadas.

Neste ano, por exemplo, o festival Angra Sound Bay saiu dos palcos e foi parar na internet. O concerto que é sucessor do Angra Rock tomou a ação pelos mesmo motivos do festival de música de Viseu, e parece mais do que adaptado para o evento. O livestreaming parece ter a transformar por completo a indústria da música, e vamos poder acompanhar de perto nos próximos anos essas mudanças.

(press release – artigo de Lucas Pedron, sobre a tecnologia na cultura e entretenimento)