Hospital de Viseu na "lista negra" dos atrasos para cirurgias - Edição Jornal
31232
post-template-default,single,single-post,postid-31232,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Hospital de Viseu na “lista negra” dos atrasos para cirurgias

Hospital de Viseu na “lista negra” dos atrasos para cirurgias

O Centro Hospitalar Tondela-Viseu é um dos que mais tempo obrigam os doentes a esperar por uma cirurgia.

Os dados são do Portal do Serviço Nacional de Saúde e dizem que em Viseu os doentes esperam mais tempo por uma cirurgia do que o ideal.

A nível nacional, há mais de 45 mil pessoas à espera de uma cirurgia há mais tempo do que o recomendado. Números que o Ministério da saúde justifica em parte com as greves dos profissionais de saúde no ano passado e também com as alterações ao Tempo Máximo de Resposta Garantido, introduzidas em 2018, onde ficou estabelecido que uma cirurgia programada de nível 1, o menos grave, deve ser feita em 180 dias.

Antes das mudanças, o tempo recomendado era de 270 dias. No caso das cirurgias oncológicas, a margem é menor. O tempo oscila entre as 72 horas e os 60 dias.

Em Viseu, na cirurgia geral, os tempos de espera são de quatro dias para situações muito prioritárias, de oito dias para situações prioritárias oncológicas, de 26 dias para situações prioritárias não-oncológicas e de 193 dias para situações normais não-oncológicas, de acordo com dados registados entre novembro de 2018 a janeiro deste ano para o Portal do SNS.

Na neurocirurgia, o tempo varia entre os 27 dias para situações prioritárias não-oncológicas e os 385 dias para cirurgias normais.

Já na cirurgia maxilo facial, o S. Teotónio registava um tempo de espera de quase um ano para situações normais.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****