Mata do Fontelo vai manter áreas interditas ao longo dos próximos cinco anos - Edição Jornal
29743
post-template-default,single,single-post,postid-29743,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Mata do Fontelo vai manter áreas interditas ao longo dos próximos cinco anos

Mata do Fontelo vai manter áreas interditas ao longo dos próximos cinco anos

A Câmara de Viseu vai manter várias áreas da Mata do Fontelo interditas ao público, e por “alguns anos”

Após reunião do executivo, aos jornalistas, o presidente da autarquia, Almeida Henriques, assumiu a decisão e justificou com as “obras de reabilitação que estão a ser feitas” e vão ainda prolongar-se por algum tempo.

Almeida Henriques disse ainda que a autarquia quer devolver a mata do Fontelo aos viseenses mas “em condições de segurança”, adiantando que, nos próximos cinco anos, há previsão de trabalhos de recuperação da mata do Fontelo que vão obrigar a que algumas áreas estejam interditas à circulação de pessoas.

O autarca lembrou ainda que depois dos estragos provocados na mata do Fontelo pela tempestade Leslie, em outubro, e pela tempestade Helena, já em fevereiro deste ano, o município pediu uma assessoria à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), para os trabalhos de limpeza e reabilitação, sem colocar em risco espécies com cerca de 500 anos.

Um processo que o autarca assume que é moroso, mas será a única forma de preservar espécies e devolver a mata do Fontelo aos viseenses para que ali possam circular em totais condições de segurança.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária-96.8 FM ou em www.968.fm

*****