Menor registo de número de fogos rurais nos primeiros oito meses de 2018 - Edição Jornal
22035
post-template-default,single,single-post,postid-22035,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Menor registo de número de fogos rurais nos primeiros oito meses de 2018

Menor registo de número de fogos rurais nos primeiros oito meses de 2018

O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas tem nos primeiros oito meses de 2018 o menor registo em número de fogos rurais.

A vigilância permanente, a deteção precoce, a capacidade de prever o comportamento e evolução dos incêndios e a eficácia dos meios de combate, são apontados como principais fatores para estes números e para a ação eficaz do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, adianta em comunicado a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Os dados disponibilizados, entre 1 de janeiro e 31 de agosto de 2018, apontam para o registo de um total de 8955 incêndios rurais, que resultaram em 36152 hectares de área ardida. Na comparação com o histórico dos últimos 10 anos, há uma redução de 42% no número de fogos e menos 60% de área ardida. Pelos dados, diz o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, 2018 tem o segundo valor mais baixo em número de ocorrências e o terceiro mais reduzido ao nível da área ardida, da última década.

Só em Agosto foram registados 2562 incêndios rurais, que representam uma redução de 50% relativamente à média dos últimos 10 anos.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm