Ministério Público arquiva inquérito ao incêndio de 2016 em São Pedro do Sul - Edição Jornal
27316
post-template-default,single,single-post,postid-27316,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Ministério Público arquiva inquérito ao incêndio de 2016 em São Pedro do Sul

Ministério Público arquiva inquérito ao incêndio de 2016 em São Pedro do Sul

O Ministério Público de Santa Maria da Feira arquivou o inquérito sobre a alegada descoordenação entre comandos de bombeiros no combate aos incêndios de Arouca e São Pedro do Sul, em agosto de 2016.

O processo foi aberto na sequência de um inquérito da Inspeção-Geral da Administração Interna que apontava para a “falta de coordenação” entre os comandantes distritais de Operações de Socorro de Aveiro e de Viseu, José Bismark e Lúcio Campos, respetivamente.

O Ministério Público considerou agora que não existiam provas suficientes da prática de qualquer ilícito criminal por parte dos dois comandantes que lideraram as operações de combate.

No despacho de arquivamento, é dito que os dois responsáveis atuaram de acordo com diretivas superiores, direcionando os meios de combate disponíveis para a proteção de pessoas e de infraestruturas edificadas.

O incêndio, que começou em Arouca, no distrito de Aveiro, a 08 de agosto de 2016, alastrou a S. Pedro do Sul, no distrito de Viseu, esteve ativo praticamente durante uma semana e devastou 25 mil hectares de floresta.

Vítor Figueiredo, autarca de São Pedro do Sul, criticou na altura a falta de meios para combater as chamas e que nunca tiveram o apoio das entidades oficiais. O primeiro-ministro António Costa prometeu então a abertura de um inquérito que foi agora arquivado pelo Ministério Público.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****