Ordem dos Médicos vai avaliar a situação do Serviço de Medicina Interna do Hospital de Viseu - Edição Jornal
29664
post-template-default,single,single-post,postid-29664,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Ordem dos Médicos vai avaliar a situação do Serviço de Medicina Interna do Hospital de Viseu

Ordem dos Médicos vai avaliar a situação do Serviço de Medicina Interna do Hospital de Viseu

A Ordem dos Médicos vai avaliar a situação que se vive no Serviço de Medicina Interna do hospital de Viseu e promete intervir “muito rapidamente”, disse à agência Lusa o presidente da secção regional do Centro, Carlos Cortes.

Na sequência da demissão de seis internistas que eram chefes de equipa do Serviço de Urgência, realizou-se uma reunião com a direção clínica do Centro Hospitalar Tondela-Viseu que, segundo Carlos Cortes, “não correu muito bem”.

De acordo com informações que recebeu de médicos presentes na reunião, “a direção clínica manteve a inflexibilidade e o serviço de Medicina Interna continua a entender que as soluções técnicas que estão a ser impostas não fazem sentido”, informou o presidente da secção regional do centro.

Num total de 18 médicos, de várias especialidades, que têm funções de chefe de equipa do SUP, seis pediram demissão e alegaram não poderem manter a acumulação de funções de chefia com a atividade assistencial.

Na semana passada, em conferência de imprensa, a diretora clínica do Centro Hospitalar Tondela Viseu, Helena Pinho, garantiu que a demissão dos médicos não afetou a prestação dos cuidados aos doentes e que o pedido de demissão teve na origem “uma discordância com a direção clínica sobre decisões de quem vê o quê dentro do serviço de urgência”.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária-96.8 FM ou em www.968.fm

*****