Penalva do Castelo não integra Empresa Intermunicipal Águas de Viseu - Edição Jornal
21659
post-template-default,single,single-post,postid-21659,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Penalva do Castelo não integra Empresa Intermunicipal Águas de Viseu

Penalva do Castelo não integra Empresa Intermunicipal Águas de Viseu

Penalva do Castelo não vai integrar a Empresa Intermunicipal Águas de Viseu.

Decisão que o presidente da autarquia, Francisco Carvalho, já comunicou ao executivo que lidera justificando com o que considera serem “inúmeras desvantagens” em especial com a previsão do aumento da tarifa da água que o autarca defende que “apenas deveria vigorar após o início do investimento na nova Barragem de Fagilde” ou quando “a tarifa for igual para todo o território nacional”.

Penalva do Castelo tinha até ao final deste mês que aprovar a adesão e depois enviar o processo para aprovação em Assembleia Municipal, mas Francisco Carvalho já colocou um ponto final na adesão do município à Águas de Viseu.

O autarca lembra que tem 80% do município abastecido por captações de água próprias com recurso aos rios Dão, Coja e Ludares, e apenas 20 por cento do consumo são feitos através da Barragem de Fagilde.

Em setembro de 2017, os municípios de Viseu, Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Sátão, São Pedro do Sul, Vila Nova de Paiva e Vouzela celebraram o acordo para a constituição da Águas de Viseu, com o objetivo de aumentar a capacidade de resposta ao abastecimento de água nestes concelhos, depois da grave seca que afetou a região no final do ano.

Umas das prioridades passa pela possibilidade, via empresa intermunicipal, de candidatar a fundos europeus a construção de uma nova barragem.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.