PSD DIZ QUE O CENTRO ONCOLÓGICO DE VISEU AINDA NÃO SAIU DO PAPEL - Edição Jornal
47443
post-template-default,single,single-post,postid-47443,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

PSD DIZ QUE O CENTRO ONCOLÓGICO DE VISEU AINDA NÃO SAIU DO PAPEL

PSD DIZ QUE O CENTRO ONCOLÓGICO DE VISEU AINDA NÃO SAIU DO PAPEL

Os deputados do PSD eleitos por Viseu dizem que o Centro Oncológico de Viseu é um projeto que ainda “continua sem sair do papel”.

No dia em que a administração do Centro Hospitalar Tondela – Viseu (CHTV) comunicou que o projeto está pronto, e  em agosto deverá estar em condições de ser candidatado a fundos comunitários, os deputados do PSD, dizem que, em duas reuniões nas duas últimas semanas, para obter informação sobre o processo do centro oncológico, receberem dos responsáveis pelo CHTV a informação da “existência de estudo prévio global, faltando ainda os projetos de especialidade, e da definição do modelo de funcionamento que já foram enviados para análise e avaliação das entidades competentes”. Acrescentam que, “tratando-se de um processo de grande complexidade e rigor, espera-se que não haja atrasos sob pena de se perder oportunidade de beneficiar de fundos de coesão ainda por executar no POCentro, não tendo, contudo, qualquer garantia de aprovação imediata”.

Os deputados do PSD eleitos por Viseu, acrescentam que o projeto agora conhecido apenas diz respeito ao edifício, e ficam por esclarecer “questões de equipamento (acelerador linear) e de recursos humanos qualificados são as que geram um grau maior de incerteza, não havendo, também, nenhuma garantia da parte do ministério da saúde quanto ao valor e fonte de financiamento do investimento, nem do IPO de Coimbra para a celebração de um protocolo de afiliação para formação e partilha de recursos humanos”, pode ler-se.

“A nossa preocupação ganha ainda maior relevância quando percebemos que a vontade política do Governo é continuar a investir no IPO de Coimbra e não no centro oncológico de Viseu”, acrescentam, lembrado que “em abril passado, o IPO anunciou que recebeu o primeiro de dois aceleradores lineares (5,8 milhões) que aumentarão a produtividade e a qualidade de resposta nos tratamentos de radioterapia. Ao que acresce, em maio, a aprovação de 29 milhões de euros através de resolução do conselho de ministros para requalificação do edifício das cirurgias do IPO. Afinal em que ficamos? Se há condições para investir cerca de 35 milhões de euros no IPO para melhorar a resposta da radioterapia, por que não há garantias para investir 25 milhões no centro Oncológico de Viseu? Parece que continuam a brincar com a saúde dos viseenses”.

Concluem o comunicado afirmando que “Viseu não é prioridade e há 6 anos que não há vontade política do Governo e do PS para que se concretize o centro oncológico em Viseu. Em suma, não há centro oncológico”, dizem.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.