Requalificação do IP3 deverá durar três a quatro anos - Edição Jornal
19265
post-template-default,single,single-post,postid-19265,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Requalificação do IP3 deverá durar três a quatro anos

Requalificação do IP3 deverá durar três a quatro anos

A anunciada requalificação IP3, entre Viseu e Coimbra, deverá durar três a quatro anos. A informação foi avançada pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, que adiantou ainda, de acordo com o projeto previsto, fazer a viagem entre as duas cidades vai demorar menos cerca de um terço do tempo atual.

Pedro Marques confirmou que as primeiras obras, já com projeto e avaliação de impacto ambiental prontos, são para começar em 2019, entre os nós de Penacova e da Lagoa Azul, em Mortágua, um troço que abrange aquela que é considerada como a zona mais crítica do IP3 em termos de segurança.

As informações foram avançadas pelo ministro durante uma apresentação do projeto que foi feita, à porta fechada, aos autarcas da Comunidade Intermunicipal de Viseu, Dão e Lafões.

Pedro Marques disse, durante a reunião, que a requalificação integral do IP3 se prevê que esteja concluída num prazo de “três a quatro anos”, após o início da obra, previsto para o próximo ano 2019.

O ministro sublinhou o que já se conhecia do projeto, ou seja, com que 85% do traçado do IP3 vai ficar com perfil de autoestrada, com duas faixas em cada sentido, e sem portagens.

Pedro Marques disse ainda que fica em aberto a possibilidade de, no futuro, ser criado um “troço de autoestrada portajada” na zona do IP3 que vai ser sem duplicação de vias nos dois sentidos, e ainda que não estão descartados investimentos futuros no IC12 e no IC3.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm