Resende e Baião não deixam cair a reivindicação de uma nova ligação à Ponte da Ermida - Edição Jornal
35832
post-template-default,single,single-post,postid-35832,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Resende e Baião não deixam cair a reivindicação de uma nova ligação à Ponte da Ermida

Resende e Baião não deixam cair a reivindicação de uma nova ligação à Ponte da Ermida

O presidente da Câmara de Resende, no Norte do distrito de Viseu, e o seu homólogo do concelho vizinho de Baião, não deixam cair a reivindicação da construção de uma nova ligação à ponte da Ermida, obra que os dois municípios reclamam desde 1985.

O autarca de Resende, Garcez Trindade, disse aos jornalistas no final de uma reunião com o secretário de Estado da tutela, que se trata apenas de “vontade política” de quem pode mandar fazer a estrada e lembrou que a construção da Ponte da Ermida foi feita com fundos comunitários, com o objetivo de ligar as autoestradas A4 e A24.

Lembra que só a travessia sobre o rio Douro é que foi concretizada, ficando por fazer as estradas que estavam previstas nas duas margens, e que o autarca de Resende considera que “ajudariam a acabar com o isolamento do concelho”.

O secretário de Estado das Infraestruturas e Habitação, Jorge Delgado, mostrou-se “sensível” aos argumentos dos dois autarcas, e adiantou que a estrada está “sob avaliação do órgão técnico que aconselhará o Governo sobre as obras do Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030.

A variante reclamada pelos dois municípios tem uma extensão de cerca de 13 quilómetros e custa 26 milhões de euros.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm .