Sátão rejeita assumir competências do Governo na área da Educação - Edição Jornal
28236
post-template-default,single,single-post,postid-28236,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Sátão rejeita assumir competências do Governo na área da Educação

Sátão rejeita assumir competências do Governo na área da Educação

O Município de Sátão rejeitou a transferência de competências do Governo na área da educação.

Decisão do executivo, ratificada em Assembleia Municipal, com o autarca, Paulo Santos, a justificar com a falta de condições financeiras para assumir a responsabilidade da manutenção e conservação dos edifícios escolares proposta pelo Governo.

O autarca lembra que há obras urgentes a serem feitas na cobertura dos edifícios da secundária de Sátão e da escola de Ferreira de Aves, onde é necessário retirar as coberturas em amianto, substituição orçada em vários milhares de euros que o Município de Sátão, diz o autarca, não poderá assumir.

Na lista de discordâncias está ainda o número de assistentes operacionais no Agrupamento de Escolas de Sátão que, diz o Município não bate certo entre a lista que consta nos serviços do Agrupamento e a que foi apresentada pelo Ministério da Educação. O Município de Sátão considera que “o valor proposto pelo Governo não é suficiente para cobrir os encargos com os funcionários do Agrupamento de Escolas” e rejeita a transferência de competências, embora não de forma definitiva, abrindo a porta a um entendimento que possa acontecer após renegociação dos valores com o Governo. Aceite pelo Município foi a transferência da rede de transportes escolares para a comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, da qual Sátão também faz parte.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária-96.8 FM ou em www.968.fm

*****