TAD afasta Académico de Viseu do "caso Santa Clara" - Edição Jornal
21567
post-template-default,single,single-post,postid-21567,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

TAD afasta Académico de Viseu do “caso Santa Clara”

TAD afasta Académico de Viseu do “caso Santa Clara”

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) rejeitou o pedido de providência cautelar apresentado pelo União da Madeira no chamado `caso´ Santa Clara, onde era pedida a suspensão dos campeonatos de futebol.

Em causa a não utilização de jogadores sub23 pelos açorianos em jogos da época passada na II Liga.

O TAD não só indeferiu o pedido, como ainda afastou o Académico de Viseu do processo, ao considerar “ilegítima” a pretensão do clube viseense em constituir-se como parte “contrainteressada” no processo.

No acórdão, os juízes do Tribunal Arbitral do Desporto concordaram com a argumentação da Federação Portuguesa de Futebol que defendeu que impedir os campeonatos profissionais, I e II Liga e o Campeonato de Portugal, “as três mais relevantes competições nacionais de futebol de 11, envolvendo mais de uma centena de equipas” seria “gravemente prejudicial para o interesse público” e que poderia vir a levar a FIFA a “aplicar pesadas sanções a clubes portugueses e à Seleção Nacional”.

O TAD acrescenta que, por muito que existam “interesses relevantes” por parte do União da Madeira neste caso, não poderia “ignorar que existem interesses” iguais ou superiores opostos aos dos madeirenses.

Quanto ao afastamento do Académico de Viseu, entendem os juízes que neste processo só podem ser intervenientes clubes que possam vir a ser prejudicados pela decisão que vier a ser tomada neste caso, como Santa Clara e Sporting de Braga B, enquanto o clube viseense seria parte beneficiada.

Esta decisão, no entanto, não inviabiliza que o Tribunal Arbitral do Desporto venha a dar razão, na questão de fundo, ao União da Madeira, tendo já ouvido madeirenses e açorianos, devendo nas próximas duas semanas vir a pronunciar-se de forma definitiva sobre este caso que pode vir a punir o Santa Clara com perda de pontos.

Certo é que, qualquer que venha a ser a decisão, será ainda passível e recurso para o Tribunal Administrativo, e em última instância para a própria FIFA, pelo que se adivinha, cada vez mais, que se poderá estar perante um novo caso “Mateus”, com aplicação prática nas competições apenas daqui a alguns anos.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.