Viseu terá de fixar mais 300 pessoas nas áreas das tecnologias nos próximos dois anos e meio - Edição Jornal
25745
post-template-default,single,single-post,postid-25745,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Viseu terá de fixar mais 300 pessoas nas áreas das tecnologias nos próximos dois anos e meio

Viseu terá de fixar mais 300 pessoas nas áreas das tecnologias nos próximos dois anos e meio

Viseu terá que fixar mais cerca de 300 profissionais nas áreas das tecnologias de informação, nos próximos dois anos e meio,  para dar resposta aos projetos que estão ou preparam-se para ser desenvolvidos, avançou o Presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, esta sexta-feira, 15 de fevereiro, durante uma visita ao Centro de Competências da Bizdirect, empresa precursora do cluster tecnológico que se instalou em Viseu.

Depois da chegada desta participada do Grupo Sonae, em 2014, instalaram-se em Viseu empresas como a Softinsa/IBM, Critical Software, Delloite ou Altice Labs.

“Temos a ‘nata’ das tecnológicas em Portugal e Viseu é já uma referência a nível nacional e internacional”, regozijou-se Almeida Henriques, alertando, todavia, para a necessidade de continuar a fixar talento na cidade.

O Presidente da Câmara referiu que, nos últimos cinco anos, fixaram-se 300 pessoas para trabalhar em empresas do cluster tecnológico e estima que seja necessário captar o dobro dos profissionais na área das tecnologias de informação nos próximos 30 meses, sendo já várias as medidas que estão a ser lançadas nesse sentido.

Uma delas é o Viseu Tech Coopete, que juntou o Município à Bizdirect, Softinsa/IBM e Critical Software, com vista à requalificação de novos quadros especializados nos domínios tecnológicos. Um projeto pioneiro, “o primeiro a ser financiado nestes moldes pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional”.

Sobre a Bizdirect, visitada no âmbito do Roteiro do Investimento que está a promover, Almeida Henriques considerou-a uma “empresa talismã”, que no fundo retrata “a pegada” que Viseu fez neste domínio das tecnologias de informação nos últimos cinco anos. “O que há cinco anos era um sonho tornou-se uma realidade”, resumiu.

João Mira Santiago, CEO da Bizdirect, salientou o facto de o Centro de Competências da empresa e a própria cidade de Viseu se terem tornado num centro tecnológico de excelência e uma “fábrica de talento”, congratulando-se com o facto de outras empresas tecnológicas terem seguido o caminho da Bizdirect, “produzindo software de Viseu para o Mundo”. “Não é só no Litoral que se constroem grandes projetos e estes cinco anos constituem uma jornada de sucesso”, destacou.

Instalado no Campus do Instituto Politécnico de Viseu, o Centro de Competências da Bizdirect conta com cerca de 60 colaboradores, cuja média de idades ronda os 26 anos.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****