Vista Alegre apresenta “FLOWER POWER” de Pedro Quintas, a 20ª peça do Projeto Artistas Contemporâneos - Edição Jornal
28080
post-template-default,single,single-post,postid-28080,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Vista Alegre apresenta “FLOWER POWER” de Pedro Quintas, a 20ª peça do Projeto Artistas Contemporâneos

Vista Alegre apresenta “FLOWER POWER” de Pedro Quintas, a 20ª peça do Projeto Artistas Contemporâneos

A Vista Alegre, centenária marca portuguesa de Porcelana, cristal e vidro, apresenta esta quinta-feira, dia 2 de maio, “Flower Power”, a vigésima peça do “PAC – PROJETO ARTÍSTAS CONTEMPORÂNEOS”.

O vaso “Flower Power” resulta de um trabalho do artista Pedro Quintas, em edição numerada e limitada a 500 exemplares.

O lançamento de mais uma peça do Projeto Artistas Contemporâneos, da Vista Alegre, decorrerá na Galeria 111, localizada no Campo Grande, 113, em Lisboa, a partir das 18H30, com a presença do próprio autor.

FLOWER POWER é uma peça de porcelana de uma elegância intemporal. Quando recebeu o convite para colaborar com a Vista Alegre, Pedro Quintas pensou de imediato em criar um vaso ou uma jarra. A sua escolha como “tela” recaiu no vaso Pará de 1941.
Para o design, Pedro Quintas recorreu à sua técnica de utilização de letras como elementos plásticos que tanto podem formar palavras como funcionar como abstrações. Na sua nova criação, o artista, que sempre gostou de flores e do efeito que criam no ambiente de uma casa, desconstrói a frase “Flower Power”, criando um efeito abstrato que deixa respirar a elegância natural das linhas do vaso. Esta reinvenção de uma parte do valioso património da Vista Alegre cria um novo clássico que é maior do que a soma das suas partes.

Sobre o PAC – Projeto Artistas Contemporâneos
O Projeto Artistas Contemporâneos convida vários criadores de prestígio nacional e internacional a desenvolver uma peça original para a Vista Alegre, limitada a duas ou três edições numeradas por ano, sublinhando a sua exclusividade. Da criatividade de Pedro Cabrita Reis, Eduardo Nery, Manuel João Vieira, Pedro Calapez, Joana Vasconcelos, José de Guimarães, Oscar Mariné, Nadir Afonso, Malangatana, Cândido Portinari, Armanda Passos, António Ole, Cruzeiro Seixas, Graça Morais, Roberto Chichorro, Júlio Resende, Manuel Cargaleiro, Martins Correia e Almada Negreiros, e agora de Pedro Quintas, nomes de referência nas artes plásticas e no design, nasceram já diversas peças inesquecíveis.

Sobre Pedro Quintas
Pedro Quintas nasceu em 1972 em Lisboa, onde reside e trabalha. Completou em 2001 o Curso Avançado de Artes Plásticas do Ar.Co (Centro de Arte e Comunicação Visual) e, desde então, tem apresentado com regularidade trabalhos de pintura, fotografia e vídeo em algumas das mais prestigiadas galerias e museus de Portugal e Espanha. O seu trabalho está representado na Coleção Ar.Co Lisboa; Coleção António Cachola / MACE, Elvas; Coleção Museu Berardo, Lisboa; Coleção Fundação EDP, Lisboa; Coleção Fundação PMLJ, Lisboa, entre outras, bem como em coleções privadas nacionais e internacionais.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm