Vouzela recorre à banca e critica falta de apoios do Estado para a recuperação de acessos florestais - Edição Jornal
26735
post-template-default,single,single-post,postid-26735,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Vouzela recorre à banca e critica falta de apoios do Estado para a recuperação de acessos florestais

Vouzela recorre à banca e critica falta de apoios do Estado para a recuperação de acessos florestais

A Câmara de Vouzela vai investir 120 mil euros na recuperação de acessos florestais no concelho, tendo o executivo aprovado contrair um empréstimo, queixando-se o presidente da câmara, Rui Ladeira da ausência de apoios do Estado e da União Europeia para esse tipo de obras.

No final da cerimónia de entrega de sete casas que arderam no concelho nos incêndios de outubro de 2017, o autarca de Vouzela considerou que “o ordenamento, a floresta e a agricultura” devem ser “uma preocupação de todos” e lamentou ter que recorrer à banca para conseguir recuperar os acessos florestais no concelho, considerando que deveriam ser alvo de apoios enquadrados no setor da agricultura e floresta.

Quanto às habitações afetadas pelos incêndios de 2017, Rui Ladeira adiantou que das 38 atingidas pelas chamas, ficam a faltar 11, mas a entrega das casas aos seus proprietários está prevista para os próximos dois meses.

Das sete casas agora entregues, quatro foram totalmente reconstruídas, todas da freguesia de Ventosa, e três com obras de recuperação, uma na freguesia de Ventosa, outra em Campia e uma terceira na União de Freguesias de Fataunços e Figueiredo das Donas.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****